sexta-feira, 21 de setembro de 2018

CECP participa de ação ambiental da Prefeitura no dia 26, por meio do Projeto Ecomuseu+



O Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), por meio do projeto Ecomuseu+, participa da programação da Semana da Árvore 2018, realizada pela Prefeitura de São José de 19 a 28 de setembro, em parceria com outras secretarias, escolas e instituições da cidade.

A ação do Ecomuseu+ acontecerá na próxima quarta (26), das 9h às 11h, com um mutirão de limpeza e plantio de árvores na Área de Preservação Permanente (APP) da nascente que contribui para a formação do córrego Alambari, no bairro Campos de São José (região leste).

A nascente é uma das 33 situadas em área pública urbana que está recebendo cuidados para recomposição de sua mata ciliar, por meio do Programa Revitalização de Nascentes, da Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade.

O Projeto Ecomuseu+, desenvolvido pelo CECP, com patrocínio da Petrobras/Governo Federal, teve início neste ano e integra o Programa Petrobras Socioambiental. A iniciativa envolve moradores do Campos de São José, Jardim Diamante e Jardim Americano, promovendo a valorização do patrimônio cultural e ambiental desses bairros.

O CECP é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, com sede em São José dos Campos, que atua na área da cultura popular. Além do projeto Ecomuseu+, a instituição foi vencedora, recentemente, de edital da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, para fazer a gestão do Museu do Folclore de São José dos Campos, onde já iniciou as atividades. 

Mais informações: www.ecomuseusjc.blogspot.com  

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Projeto Ecomuseu+ participa de mutirões de limpeza nos Parques Alambari e Senhorinha

Parque Alambari, localizado no Campos de São José
O Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), por meio do projeto Ecomuseu+, participa, neste sábado (15), das 9h às 12h, de uma grande mobilização para limpeza dos parques Alambari, no Campos de São José (região leste), e Senhorinha (região sul). A atividade faz parte do movimento Limpa Brasil e ao Dia Mundial de Limpeza; sob coordenação do Instituto Lixo Zero Brasil e tem apoio da Prefeitura.

O Dia Mundial de Limpeza, realizado em 15 de setembro, é uma ação que visa promover a mobilização de voluntários em todo o mundo para a limpeza de bairros, praias, praças e parques. Surgiu na Estônia, em 2008, e já percorreu mais de 140 países. A ação simboliza a necessidade de conscientização da sociedade para o problema do descarte irregular de resíduos sólidos urbanos.

“É muito importante essa articulação em rede mundial porque as pessoas percebem que elas não estão sozinhas, que há um coletivo envolvido", destacou Maria Siqueira Santos, coordenadora do projeto Ecomuseu+. "A ação mostra a preocupação da comunidade com seu território. Quando as pessoas se reúnem para cuidar do seu bairro, elas se apropriam melhor dele e isso só contribui para o caminhar do bairro.”

O projeto Ecomuseu+ tem patrocínio da Petrobras/Governo Federal e atende moradores dos bairros Campos de São José, Jardim Americano e Jardim Diamante, todos localizados na região leste da cidade. Este trabalho de hoje é um dos muitos que o projeto tem realizado nos últimos meses, após o contrato de patrocínio. 

Parques urbanos

Tanto o Senhorinha como o Alambari têm a função de proteger áreas de preservação permanente (APP) de córregos urbanos e proporcionar a integração com a comunidade.

O Senhorinha é um parque linear, com 4.738 metros de extensão, que vai da nascente do córrego do Senhorinha, no Dom Pedro II, até as proximidades da Avenida Guadalupe. Contribui com a drenagem das águas pluviais e a recarga dos aquíferos subterrâneos. Tem pista de caminhada e estações que abrigam equipamentos de ginástica, áreas com brinquedos e mobiliários urbanos.

Com uma área de mata nativa e reflorestamento voltada ao lazer contemplativo, o Parque Alambari tem 11,7 hectares. Conta com trilhas para caminhada, playground, estações de ginástica, campo de futebol, vestiário e quadra.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

CECP vence edital da Fundação Cultural e fará gestão do Museu do Folclore por mais dois anos

Fachada do Museu do Folclore no Parque da Cidade
Foto: Adenir Britto
O Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP) foi confirmado, nesta semana, pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo, como a instituição que fará a gestão do Museu do Folclore de São José dos Campos nos próximos dois anos (confira o termo de homologação). A seleção ocorreu por meio de edital de chamamento público, lançado pela Fundação Cultural em junho. 

De acordo com a nova legislação, que rege as relações do poder público com instituições do terceiro setor, um termo de colaboração entre as partes deve ser assinado em setembro, quando o CECP iniciará um novo período de gestão. Esta é a segunda vez que a instituição vence edital com esta finalidade.

O CECP é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, criada em abril de 1999, com sede em São José dos Campos. A instituição tem como finalidade estudar, pesquisar, difundir, valorizar e estimular todos os patrimônios, material e imaterial, e toda expressão da cultura popular.  

Perfil

O Museu do Folclore de São José dos Campos funciona no Parque da Cidade e tem mais de 30 anos de existência, tendo sido criado pela Fundação Cultural após proposta feita pela extinta Comissão de Folclore. Atualmente, mantém aberta ao público a exposição de longa duração ‘Patrimônio Imaterial: Folclore e Identidade Regional’.

O funcionamento atual é de terça a sábado, das 9h às 17h. Com a nova gestão do CECP, o horário deverá voltar para o período de terça a sexta, das 9h às 17h, e sábados e domingos, das 14h às 17h. Além da exposição, outros programas e projetos também devem ser retomados pela instituição.