quarta-feira, 6 de junho de 2018

CECP desenvolve novo projeto socioambiental com patrocínio da Petrobras / Governo Federal

Equipe de pesquisa do Ecomuseu+. Destaque para Angela
Savastano, vice-presidente do CECP (ao centro) e Maria de Siqueira,
coordenadora do projeto (segunda da direita para a esquerda) 
O Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP), organização da sociedade civil sem fins lucrativos, com sede em São José dos Campos, deu início a um novo projeto socioambiental, que visa promover a valorização do patrimônio cultural e ambiental dos bairros Jardim Americano, Jardim Diamante e Campos de São José (região leste), por meio do empoderamento dos moradores destes três locais.

A iniciativa faz parte do Projeto Ecomuseu+, desenvolvido pelo CECP com patrocínio da Petrobras / Governo Federal e apoio da Fundação Cultural Cassiano Ricardo e outras instituições do município, ligadas à Prefeitura de São José. O projeto foi colocado em prática um ano após o CECP ter protagonizado trabalho semelhante (Projeto Ecomuseu Campos de São José – de 2015 a 2017), também com patrocínio da empresa.

O Projeto Ecomuseu+ integra o Programa Petrobras Socioambiental, lançado pela empresa em 2013, consolidando a integração dos investimentos sociais e ambientais como ferramenta para ampliar a atuação junto a comunidades, instituições do terceiro setor, poder público e universidades.

“Estamos satisfeitos em ter, mais uma vez, o patrocínio da Petrobras para o desenvolvimento de um novo projeto da instituição e temos certeza de que o resultado será muito satisfatório para todas as partes envolvidas. Além disso, estamos consolidando a atuação do CECP junto à comunidade, que ao longo dos seus 19 anos de existência tem contribuído para a valorização da cultura popular e o fortalecimento da cidadania”, declara Ricardo Savastano, presidente do Centro de Estudos.

Pesquisa inicial

O trabalho que vem sendo desenvolvido pelo CECP terá duração de dois anos e prevê uma série de ações, entre elas uma pesquisa de campo realizada junto aos moradores dos três bairros, que deve durar até o final do projeto. A pesquisa vem sendo feita por uma equipe de pesquisadores, num contato direto com os moradores, em suas residências e ruas dos bairros.

O objetivo desta pesquisa é fazer um mapeamento cultural e socioambiental das comunidades, a fim de identificar os saberes que advêm da interação das pessoas com o ambiente onde moram, bem como um levantamento das principais demandas, sempre com foco naquilo que os próprios participantes do projeto podem desenvolver.

“Assim como no projeto anterior, o objetivo da proposta atual é proporcionar um novo olhar dos moradores destes bairros para a comunidade em que vivem, identificando os pontos positivos e questões que podem ser melhoradas, mas sempre com foco naquilo que eles mesmos podem resolver”, explica a historiadora Maria Siqueira Santos, coordenadora do projeto.

Ações

Para atingir o objetivo proposto no Projeto Ecomuseu+, o CECP pretende envolver adultos e jovens em ações de identificação, seleção, salvaguarda e difusão do patrimônio cultural local, desenvolvidas por meio de pesquisa de campo, plantio e manutenção de árvores nativas, rodas de artesanato, rodas de cantoria, encontros com jovens, rodas de conversa, entre outras demandas que surgirão ao longo do processo.

“Ao serem colocadas frente a frente com seus saberes e valorizadas exatamente naquilo que são capazes de fazer, as pessoas se potencializam e iniciam uma tomada de consciência de seu papel na comunidade, no desenvolvimento do território. Propõem soluções para os problemas enfrentados coletivamente e agem em prol do bem comum”, destaca Maria Siqueira.

Museologia Comunitária

O trabalho é fundamentado nos princípios da museologia comunitária, que tem a capacidade de empoderar as pessoas para uma ação de transformação social, utilizando como recurso o próprio patrimônio cultural. Ao fazer isto, elas são capazes de promover uma nova relação da comunidade entre si, com o local onde moram e com a municipalidade como um todo, visando a promoção da qualidade de vida.

A metodologia utilizada faz com que os participantes do projeto discutam sobre o que, como, quando e onde fazer. São ações palpáveis, com resultados práticos, visual e efetivo, de forma a mudar os espaços de convivência e trazer ambientes de uso comum, onde poderão ser realizadas uma série de atividades.

Em 2017, o Projeto Ecomuseu Campos de São José foi certificado como tecnologia social pela Fundação Banco do Brasil, passando a fazer parte do Banco de Tecnologias Sociais da instituição bancária, podendo ter sua filosofia de atuação aplicada em parceria com outras instituições e empresas do setor privado.

Organização Social

O CECP é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, criada em abril 1999. Com sede em São José dos Campos, a instituição atua na área da cultura popular, tendo sido declarada de utilidade pública pela Prefeitura Municipal em outubro de 2001. Além do Projeto Ecomuseu+, o CECP é responsável pela gestão do Museu do Folclore de São José dos Campos e outros projetos ligados à área da cultura popular e patrimônio imaterial.

Centro de Estudos da Cultura Popular
(12) 3924-7318 / (12) 982645960

domingo, 3 de junho de 2018

CECP participa de Seminário de Meio Ambiente realizado pela Fundhas, nesta segunda-feira (4)

Alunos da EE Prof. Valmar Lourenço conhecem a Fazendinha
O Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP) é uma das instituições participantes do Seminário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável no Vale do Paraíba, que acontece nesta segunda-feira (4), na abertura da Semana do Meio Ambiente realizada pela Fundação Hélio Augusto de Souza (Fundhas).

A instituição estará representada pela historiadora Maria Siqueira Santos, que coordenou o Projeto Ecomuseu Campos de São José, desenvolvido pelo CECP entre 2015 e 2017, com patrocínio da Petrobras. Ela falará sobre duas experiências desenvolvidas na área socioambiental com moradores do bairro Campos de São José (região leste).

Uma das experiências diz respeito à conscientização da comunidade em relação à uma Área de Proteção Permanente (APA) existente no bairro, que depois de receber melhorias, passou a ser preservada com o plantio de árvores nativas. O local foi batizado pelos moradores de ‘Fazendinha’ e até hoje recebe cuidados.

A outra experiência envolveu alunos da EE Prof. Valmar Lourenço, que foram convidados a conhecer o bairro onde moram com um olhar diferente, de curiosidade, de questionamento, reparando a interação entre a natureza, o meio urbano e a sociedade. Ações que ajudaram os alunos a entender melhor as pessoas e o local onde moram.

“A oportunidade de podermos mostrar o quanto o cidadão pode contribuir para melhorar a sua qualidade de vida e da comunidade onde está inserido, a partir das suas ações, é muito importante. São experiências gratificantes que queremos dividir com as pessoas e nada melhor do que fazer isto durante este seminário”, ressaltou Maria Siqueira.

O CECP é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, com sede em São José dos Campos, criada em abril de 1999. A instituição atua na área da cultura popular, principalmente na região do Vale do Paraíba, onde desenvolve projetos próprios e em parceria com o poder público e a iniciativa privada.